Artigos Anteriores

A ECONOMIA E O JORNALISMO

ANO XIV - Nº 007/14 -

ASSUNTOS DE ECONOMIA

Os jornalistas, em geral, mais do que sabido, por falta de gosto e/ou por absoluta falta de afinidade para tratar de assuntos de economia, quando recebem alguma informação que diga respeito ao setor mal conseguem explicar ou o que realmente está por trás do assunto.

DESINTERESSE

Daí a razão para que muitos jornais, (um bom exemplo disso está nas páginas diárias do jornal Zero Hora, do RS, que confessadamente já manifestou que não há profissionais competentes para cobrir o setor), deixem de dar atenção adequada (na maioria das vezes nenhuma) ao que acontece na área de economia.

CIÊNCIAS EXATAS

De parte dos jornalistas, a razão para tamanho desinteresse tem uma correta explicação: as matérias que tratam das ciências exatas, principalmente a matemática, não são exigidas, tanto para o exame vestibular quanto no próprio curso de jornalismo.

CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS

Diante da clara incapacidade que os jornalistas em geral têm para desenvolver o raciocínio lógico que só as ciências exatas propiciam, quem acaba perdendo, e muito, é o povo-leitor, que deixa de obter, através dos jornais, os esclarecimentos sobre as CAUSAS E CONSEQUÊNCIAS das medidas econômicas que são tomadas, constantemente, pelo governo.

MATRIZ ECONÔMICA

Neste crucial momento que a economia brasileira está vivendo, de inflação alta, crescimento cada dia mais baixo, intervenções governamentais de todo tipo e a toda hora, despesas públicas aumentando sem parar, etc, etc, por exemplo, é raro encontrar um periódico que faça a correta constatação de que tudo isso não passa de pura CONSEQUÊNCIA de uma Matriz Econômica (BOLIVARIANA) totalmente equivocada.

ESTRAGO

Ora, é inegável que, ao longo dos últimos anos o Brasil vive um claro processo de paulatina deterioração econômica. Infelizmente, por falta de interesse e/ou conhecimento necessário de quem trabalha com a informação, a evolução do estrago não vem sendo mostrado. E, pelo visto, só será estampado quando estivermos perto do caos.

PESSIMISTAS

Isto explica o forte desprezo que muita gente acaba nutrindo por aqueles que, através do discernimento, expõem os perigos que a economia brasileira está vivendo e continuará vivendo nas mãos e pés do PT. Estes que deveriam ser chamados de RESPONSÁVEIS, a presidente Dilma Neocomunista e seus seguidores chamam de -PESSIMISTAS-. Pode?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • SERVIÇOS
    O Índice de Confiança de Serviços (ICS) da Fundação Getúlio Vargas recuou 0,6% entre junho e julho, considerando-se dados com ajuste sazonal. Após a sétima queda consecutiva, o índice atingiu 107,3 pontos, o menor nível desde abril de 2009 (103,4 pontos).
  • DEFAULT
    A Argentina, como era esperado, entrou em default pela segunda vez em 12 anos depois que acabaram as esperanças de um acordo de última hora com os credores chamados de -holdouts-. Com isso aumentam ainda mais as chances de que a recessão seja ainda mais forte neste ano. E Dilma ainda é solidária com a caloteira Argentina. Pode?
  • DÉFICIT PRIMÁRIO
    O governo Dilma, através das contas do Tesouro, do Banco Central e da Previdência Social, registrou déficit primário de 1,95 bilhão de reais em junho, o pior resultado para junho desde o início da série histórica, informou o Tesouro Nacional. Nos seis primeiros meses do ano, a economia feita para o pagamento de juros acumula saldo positivo de 17,24 bilhões de reais, METADE do valor visto em igual período do ano passado e também o pior resultado para o período desde o ano 2000.
  • EXPOAGAS 2014
    No dia 04 de agosto, às 10h, na sede da entidade (Rua Dona Margarida, 320 ? Porto Alegre), o presidente da Associação Gaúcha de Supermercados, Antônio Cesa Longo, irá apresentar as novidades e a programação da 33ª Convenção Gaúcha de Supermercados ? EXPOAGAS 2014.

FRASE DO DIA

Que tempos são estes, em que é necessário defender o óbvio?

Bertolt Brecht