Artigos Anteriores

A CRISE NÃO CHEGOU AO SETOR PÚBLICO

ANO XIV - Nº 007/14 -

MÁ VONTADE

Decididamente, aqueles que trabalham (???) no SETOR PÚBLICO não dão a mínima importância para a crise financeira e econômica do nosso pobre país. Muitos, inclusive, parecem convencidos de que o preocupante e crescente desemprego que atinge o SETOR PRIVADO só acontece por má e cruel vontade empresarial. 

IRRELEVANTE

O que se viu , ontem, na Assembleia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, quando a maioria dos deputados resolveu aprovar um aumento 8,13% dos salários do funcionários do Judiciário, do Ministério Público, da Defensoria Pública, do Tribunal de Contas do Estado e da Assembleia Legislativa, é a prova de que a existência ou não de recursos para atender despesas públicas é irrelevante. 

R$ 200 MILHÕES

Como os brasileiros sabem, ou precisam saber, o RS é aquele que se encontra na pior situação financeira entre  os todos os Estados do país, que não por acaso estão na penúria. Pois, mesmo assim, com uma arrecadação de impostos insuficiente para sequer pagar a folha de ativos e, principalmente, de inativos, os deputados gaúchos resolveram aumentar a despesa pública em praticamente R$ 200 milhões para este ano. Pode?  

MARCEL VAN HATTEM

Como bem afirma o valoroso deputado Marcel Van Hattem, um dos poucos totalmente contrários ao aumento dos salários dos servidores acima referidos, -a situação econômica do RS é adversa para a iniciativa privada e o dinheiro que vai para o caixa que paga as despesas de todos os poderes tem origem de um lugar só: o bolso do pagador de impostos, cada vez mais vazio-.

CURIOSO, OU LAMENTÁVEL

O curioso, ou lamentável, é que o governador José Ivo Sartori, pelas declarações que dá a todo momento, está convencido de que o problema financeiro do Estado do RS está na dívida com a União. Ora, ora, governador... Até a grama do meu prédio sabe que o grande problema está na DESPESA DE PESSOAL, tanto de ATIVOS quanto, e principalmente, de INATIVOS. 

DESPESAS COM PESSOAL

Mais: é importante que todos saibam que a conta -DESPESAS COM PESSOAL- chegou a um nível tal, que se todas as demais despesas (inclusive a dívida com a União) fossem hipoteticamente perdoadas, mesmo assim o Tesouro do RS continuaria enfrentando enorme dificuldade para honrar a FOLHA de SALÁRIOS DOS FUNCIONÁRIOS. Que tal?

CRISE? SÓ NO SETOR PRIVADO

Resumindo: a crise, que é imensa e preocupante, ainda não está madura. Por enquanto só chegou ao SETOR PRIVADO, que é responsável pela produção de bens e serviços. Para o SETOR PÚBLICO, que nada produz, mas se apropria de tudo que é produzido, a crise passa longe e/ou parece ser totalmente desconhecida. 

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • INFLACÃO

    Os índices de inflação são o destaque de hoje:

    1- A segunda prévia do IGP-M de maio veio em 0,68%, ante avanço de 0,3% na mesma leitura de abril. Na primeira medição de abril, o IGP-M tinha subido 0,59%. Com o resultado, o índice acumula altas de 4,01% no ano e de 10,93% em 12 meses.

    2- O IPC-Fipe, que mede a inflação na cidade de São Paulo, teve alta de 0,41% na segunda quadrissemana de maio, mostrando leve aceleração ante a leitura da primeira quadrissemana, quando subiu 0,38%.
     

  • PREVIDÊNCIA SOCIAL

    A propósito do que escrevi ontem, sobre Previdência Social, o pensador Ricardo Bergamini adiciona o seguinte:

    - Em 2015 o Regime Geral de Previdência Social (INSS) destinado aos trabalhadores de 2ª CLASSE  (empresas privadas) com 99,6 milhões de participantes (contribuintes e beneficiários) gerou um déficit previdenciário da ordem de R$ 78,9 bilhões.

    - Em 2015 o Regime Próprio da Previdência Social destinado aos trabalhadores de 1ª CLASSE (servidores públicos) – União, 26 estados, DF e 2067 municípios mais ricos, com apenas 9,6 milhões de participantes (contribuintes e beneficiários) gerou um déficit previdenciário da ordem de R$ 114,3 bilhões.

    - Essa bomba relógio, que agora está estourando, foi montada de longa data, e até hoje, sem nenhuma indignação da sociedade brasileira. Agora, portanto, somente nos resta assistirmos a falência total do sistema, começando pelos estados e municípios (já fazendo parte das manchetes atuais da imprensa) o do INSS que já vem falindo paulatinamente de longa data, ou seja: se aposenta com um valor em salários mínimos, e em 10 anos o segurado está recebendo a metade do valor em salários mínimos. E a União, como sempre o Brasil foi um país totalitário e centralizador (nossa democracia é meia-sola), jamais será atingida.

  • REINO UNIDO

    No Reino Unido, a taxa de desemprego ficou estável em 5,1% no trimestre até março, permanecendo no menor nível desde 2005. Na zona do euro, o CPI (índices de preços ao consumidor) caiu 0,2% em abril ante igual mês do ano passado, em linha com a expectativa.
     

  • FLORENSE

    Parabéns para toda equipe da Fábrica de Móveis Florense pelos 63 anos de atividade.  Sucesso!

FRASE DO DIA

O que certamente nunca houve no Brasil foi um choque liberal. O liberalismo econômico assim como o capitalismo não fracassaram na América Latina. Apenas não deram o ar de sua graça.

Roberto Campos