SETOR PÚBLICO: O ESTUPRO

ABUSOS SEXUAIS

Pelo que leio, ouço e assisto em praticamente todos os  meios de comunicação, já são mais de 500 mulheres que dizem ter sofrido ABUSOS SEXUAIS do famoso -médium- João de Deus.

 

ABUSOS GOVERNAMENTAIS

Ainda que tais SUSPEITAS exijam amplo esclarecimento para que se faça Justiça, o que me preocupa é que estes mesmos meios de comunicação não divulgam os REAIS -ABUSOS GOVERNAMENTAIS- que mais de 200 milhões de PAGADORES DE IMPOSTOS sofrem, diariamente, pelas mãos e atitudes dos nossos governantes.

 

A SUSPEIÇÃO E O FATO

De novo: enquanto João de Deus é SUSPEITO de cometer ABUSOS SEXUAIS, no caso dos -ABUSOS GOVERNAMENTAIS- estamos diante de um FATO INQUESTIONÁVEL praticado, constantemente, pelos nossos governantes dos TRÊS PODERES - Executivo, Legislativo e Judiciário-, tanto nacional quanto estaduais e municipais.

AUMENTO DO NÚMERO DE SERVIDORES PÚBLICOS EM DUAS DÉCADAS

A propósito, ontem o IPEA -Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada comprovou este FATO INQUESTIONÁVEL DE ABUSO GOVERNAMENTAL, através de estudo que mostra que o número de servidores públicos ativos, dentre civis e militares, aumentou, nas duas últimas décadas, em torno de 60%. Mais: o gasto anual dos governos com o funcionalismo já atinge espantosos 10,5% do PIB. Que tal?

R$ 725 BILHÕES SÓ EM 2017

Detalhe importante: apenas em 2017, os governos -federal, estaduais e municipais- destinaram R$ 725 bilhões dos PAGADORES DE IMPOSTOS para FOLHAS DOS SERVIDORES. Tal despesa, pasmem, passou de 9,6% do PIB, em 2006, para 10,5% do PIB, em 2017.

ESTUPRO

Diz o estudo, que de resto é um claro atestado da existência de um  ESTUPRO, que o número de civis e militares ativos no setor público federal aumentou 25% nas duas  últimas décadas. Em 1995 foram mais de 950 mil pessoas; e em 2016 este número ultrapassou a marca de 1,2 milhão de servidores. Mais: no setor público estadual, a alta foi de 28%, ou seja, de 2,9 milhões, em 1995, pulou para 3,7 milhões em 2016.

Agora o pior de tudo: enquanto os gastos aumentaram significativamente, os serviços públicos diminuíram. Pode?

Assine a Newsletter do Ponto Crítico

MARKET PLACE

  • GOSTO POR CRISES

    Para comprovar, ipsis literis, o que escrevi no meu Editorial de ontem, os deputados do Estado do RS se empenharam para votar, e aprovar por 40 votos favoráveis e 10 contrários, a manutenção das exageradas alíquotas de ICMS para combustíveis, energia e comunicações. 

    Enquanto a teoria e a prática atestam que quanto menor a carga tributária maior é o desenvolvimento econômico, o RS mostra que gosta mesmo é de CRISE e de ATRASO.

  • ESPAÇO PENSAR+

    Eis a oportuna observação feita pelo pensador Roberto Rachewsky:

    Na década de 30, o fascismo tomava conta de pelo menos 5 países: Alemanha, Japão, Itália, Brasil e Argentina.

    Alemanha e Japão foram os únicos a abandonarem o fascismo quase que por completo porque os americanos impuseram constituições liberais.

    A Itália manteve uma economia mista ainda que mais liberal do que era sob Mussolini.

    Brasil e Argentina continuaram assombrados por Getúlio Vargas e Juan Peron.

    Resultado:

    Alemanha e Japão, apesar de terem tido suas economias destruídas pela Segunda Guerra, em menos de 30 anos tornaram-se a segunda e a terceira maiores potências econômicas mundiais.

    Itália manteve um crescimento médio, o Brasil continuou sendo um país subdesenvolvido e a Argentina se tornou um país decadente.

    Economias mistas são um atraso, quanto mais estado intervindo pior para a sociedade. Isso é regra inquestionável, comprovada empiricamente. Todos os países que seguiram o caminho do fascismo ou do socialismo viram suas populações empobrecerem, todos os países que adotaram políticas liberalizantes prosperaram.

    Isso é realidade, não é retórica, nem proselitismo ideológico, é fato.

    Por isso que eu criei o termo desgetulizar.

    Desgetulizar é revogar todo o entulho fascista criado ao longo dos últimos 90 anos, desde que Getúlio Vargas como Presidente da Província do Rio Grande do Sul criou o Banco do Estado do Rio Grande do Sul, que foi um aperitivo se comparado com tudo o mais que o caudilho, populista e demagogo, produziu para o país a partir de 1930.

    Vamos lá Bolsonaro! Vamos lá Paulo Guedes! Vamos lá Sérgio Moro! O Brasil precisa desgetulizar-se!

    Libertem os brasileiros do fascismo como os americanos fizeram com os alemães, japoneses e italianos.

    Desgetulizem tudo! 

FRASE DO DIA

Os pobres ficam ainda mais pobres quando têm de sustentar os burocratas nomeados supostamente para enriquecê-los.

Mario Henrique Simonsen